1. Honra em primeiro lugar os deuses imortais, conforme classificados pela lei.
2. Honra, e reverencia o juramento que fizeste.
3. Depois honra os heróis que ultrapassaram em excelência a humanidade.
4. Honra, então, os daemons terrestres por viverem no bem e a eles o devido respeito.
5. Honra em seguida a teus pais, e a todos os membros da tua família.
6. Depois outros, escolhe como amigo o mais sábio e virtuoso.
7. Aproveita seus discursos suaves, e aprende com os atos dele que são úteis e virtuosos.
8. Mas não afastes teu amigo por um pequeno erro,
9. Porque o poder convive duramente com a necessidade.
10. Existem as necessidades, mas aquelas que deves enfrentar e refrear:
11. Primeiro o teu apetite, depois o teu sono, a tua raiva e a tua libido.
12. Não faças junto com outros, nem sozinho, o que te dá vergonha.
13. E, sobretudo, respeita a ti mesmo.
14. Pratica a justiça com teus atos e com tuas palavras.
15. E estabelece o hábito de nunca agir impensadamente.
16. Mas lembra sempre um fato, o de que a morte virá a todos;
17. E que as coisas boas do mundo são incertas, e assim como podem ser conquistadas, podem ser perdidas.
18. Suporta com paciência e sem murmúrio a tua parte, seja qual for,
19. Dos sofrimentos que o destino determinado pelos deuses lança sobre os seres humanos.
20. Mas esforça-te por aliviar a tua dor no que for possível.
21. E lembra que o destino não manda muitas desgraças aos bons.
22. O que as pessoas pensam e dizem varia muito; agora é algo bom, em seguida é algo mau.
23. Portanto, não aceites cegamente o que ouves, nem o rejeites de modo precipitado.
24. Mas se forem ditas falsidades, retrocede suavemente e arma-te de paciência.
25. Cumpre fielmente, em todas as ocasiões, o que te digo agora:
26. Não deixes que ninguém, com palavras ou atos,
27. Te leves a fazer ou dizer o que não é melhor para ti.
28. Pensa e delibera antes de agir, para que não cometas ações tolas,
29. Porque é próprio de um homem miserável agir e falar impensadamente.
30. Mas faz aquilo que não te trará aflições mais tarde, e que não te causará arrependimento.
31. Não faças nada que sejas incapaz de entender.
32. Porém, aprende o que for necessário saber, se quiseres tornar feliz a tua vida.
33. Não esqueças de modo algum a saúde do corpo,
34. Mas dá a ele alimento com moderação, o exercício necessário e também repouso à tua mente.
35. E isso quer dizer: moderação é aquilo que não aumenta o risco de dano.
36. Sê dedicado, mas não luxurioso naquilo a que tu te dedicas.
37. Evita todas as coisas que causarão inveja,
38. E não cometas exageros. Vive como alguém que sabe o que é honrado e decente.
39. Não ajas por cobiça ou avareza. É excelente usar a medida mediana em tudo.
40. Faz apenas as coisas que não podem ferir-te, e reflita antes decidir fazê-las.
41. Ao deitar, nunca deixes que o sono se aproxime dos teus olhos cansados,
42. Enquanto não revisares com a tua consciência mais elevada todas as tuas ações do dia.
43. Três perguntas: "Em que errei? Em que agi corretamente? Que dever deixei de cumprir?"
44. Recrimina-te pelos teus erros, alegra-te pelos acertos.
45. Pratica integralmente todas estas recomendações. Medita bem nelas. Tu deves amá-las de todo o coração.
46. São elas que te colocarão no caminho da Virtude Divina,
47. Eu o juro por aquele que nos transmitiu o mistério da Tetraktis (Quaternário).
48. Aquela fonte e modelo dos deuses por onde todas as coisas fluem.
49. Nunca comeces uma tarefa antes de pedir a bênção e a ajuda dos Deuses.
50. Quando fizeres de tudo isso um hábito,
51. Conhecerás a natureza dos deuses imortais e dos homens,
52. Verás até que ponto vai a diversidade entre os seres, e aquilo que os contém, e os mantém em unidade.
53. Verás então, de acordo com a Justiça*, que a substância do Universo é a mesma em todas as coisas.
54. Deste modo não serás ignorante das coisas deste mundo e assim não terás esperanças vãs, depositadas naquilo que tu não podes possuir.
55. Perceberás também que os homens lançam sobre si mesmos suas próprias desgraças, voluntariamente e por sua livre escolha.
56. Cegos, surdos, infelizes!, não vêem, nem compreendem que o bem deles está ao seu lado.
57. Poucos sabem como se libertar dos sofrimentos.
58. Esse é o destino que pesa sobre a humanidade.
59. Os seres humanos andam em círculos, para lá e para cá, com sofrimentos intermináveis,
60. Porque são acompanhados por uma companheira sombria, a guerra interna entre eles, que os lança para cima e para baixo sem que percebam.
61. Trata, discretamente, de nunca despertar desarmonia, mas foge dela!
62. Ó Grande Pai, livra a todos de sofrimentos tão grandes,
63. Ou nos ensine como conhecer a nós mesmos e a ti, Pai,
64. Porém, tu não deves ter medo, porque o Grande Zeus é aliado da raça humana,
65. E a natureza comunicará à humanidade os segredos dela,
66. E ao comunicar os segredos, tu os colocarás em prática e com facilidade todas as coisas que aqui te recomendo.
67. E ao curar a tua alma a libertarás de todos esses males e sofrimentos.
68. Mas te abstenha de comidas pouco recomendáveis em nossas Tradições, que isso recomenda para a purificação da mente.
69. Avalia bem tudo isso:
70. Buscando sempre entronar a tua Razão, o melhor condutor da Carruagem,
71. Assim, quando abandonares teu corpo físico e livremente te elevares,
72. Tu então um Deus imortal iniciarás,
73. Para além desta mortalidade e Sentido.
PITÁGORAS (582-482).


* Justiça = A Cabala Pitagórica, os números.