Cabala Prática

A gente principia as coisas, no não saber e por que, e desde aí perde o poder de continuação — a vida é mutirão de todos, por todos remexida e temperada. João Guimarães Rosa (1908-1967), in Grande Sertão: Veredas (2001:477).
Por que Cabala Prática? Porque pratica meditação.
Na busca pela qualidade total, se mexe até mesmo em time que está ganhando. (É que, se vc não mexe, o competidor está mexendo e logo logo vc deixa de ser competitivo). O mundo já acabou: agora que as instituições clássicas estão desacreditadas, do Estado até as instituições religiosas, a Empresa (com E maiúsculo, como instituição) passa a ser a medida de todas as coisas. Para vc viver bem (leia-se: a Empresa julgar vc como lucrativo) neste mundo novo, é preciso que vc também mexa e remexa —a vida é mutirão de todos, por todos remexida escreveu Guimarães Rosa.
Meu melhor amigo é meu outro eu —é a frase de quem ingressava na Academia de Pitágoras (582-482 a.C.); de fato, há um outro "eu" dentro de vc: e em geral ele é tratado como um vizinho sem intimidades, pois é mais cômodo que ele seja um estranho, apenas cumprimentando "Bom dia!" todo santo dia… Mais cômodo, porque assim vc fica dispensado de "nascer de novo", como ensina a Cabala. Mas o que seria da transformação do ser, do seu "eu", se vc não morrer para este nível de vida, e nascer de novo nesta mesma vida?
Ainda tenho um salário garantido e isso, nos dias de hoje, não é nada mau…, ou seja, vc tem um empreguinho e um sonho, mas o seu "eu" fica preso ao empreguinho —em Cabalá isso é chamado de "galut". O medo é o que te prende em "galut". Ele ocupa o seu coração e também a mídia —afinal, a mais eficiente forma de dominar uma pessoa é pelo medo. A pressão do mundo econômico em cima de vc é enorme. Claro que uma virada de mesa insensata pode causar pobreza —a Cabala ensina que sensatez e riqueza andam juntas. É preciso um caminho sensato.
Rabi Akiva (12-132) foi um dos quatro sábios que entraram no Pardês ("Paraíso", mistérios) e foi o único que "ascendeu em paz e baixou em paz" porque era o S de PaRDêS, Sod ("Segredo", a totalidade das interpretações cabalísticas da Bíblia Hebraica, que totalizam 600 mil). São quatro as interpretações possíveis da Bíblia Hebraica: a literal (P), a alegórica (R), a metafísica (D) e a cabalista (S).
Crenças são objetos que também se muda. Não se trata de acreditar ou não, mas de raciocinar com um modelo, em seguida com outro modelo e assim por diante. Antes o modelo era para ser seguido; agora —e felizmente com a divulgação de obras como "O Segredo", onde se visualiza com facilidade que o pensamento é um objeto— os objetos de pensamento modelam o mundo, portanto, a responsabilidade de cada ser humano aumentou. Sobre modelos, leia esse texto de Jefferson Luís da Silva, da comunidade Tecnociência. Ou o artigo de Emmanuel Derman, publicado no edge.org, ou aqui em uma tradução resumida.
Algumas modelagens