O ser vivo é um 'gerador de acaso': seu cômputo trata do aleatório(acontecimento) e gera o aleatório (decisão);
toda atividade neuro-cerebral comporta constitutivamente o acaso(estabelecimento das ligações sinápticas, 'ruídos', associações do acaso e com o homem, sonho, imaginação, invenção);

In "La Méthode t. 2. La vie de la vie"; tradução: Nurimar Falci.


Nenhum outro indivíduo pode dizer Eu no meu lugar, mas todos os outros podem dizer Eu individualmente. Como cada indivíduo vive e se experimenta como sujeito, esta unicidade singular é a coisa humana, a mais universalmente compartilhada. Ser sujeito nos faz seres únicos, mas esta unicidade é aquilo que existe de mais comum.
In "La méthode V L' humanité de l'humanitée. L' identité humaine."; tradução: Nurimar Falci.